NUEVO Debate – Violência Contra a Mulher, com a vice-presidente da Comissão de Estudos sobre a Violência de Gênero da OAB-PR, Sandra Lia Bazzo Barwinski

Transcrição e resumo por

Karina Rossetto Obrzut

De acordo com Sandra Lia Bazzo Barwinski, a mulher é vítima de violência em inúmeros ambientes, porém, a violência doméstica e familiar é uma das mais graves, pois opera como a geradora de muitas outras. Sendo assim, pela Lei Maria da Penha, essa forma de violência é aquela que ocorre no espaço familiar, o qual abrange as relações de cônjuges e parentais, e no ambiente doméstico.

Nesse sentido, Barwinski prossegue elencando as formas que a violência doméstica e familiar se manifesta: violência física, como o homicídio e agressões físicas; violência psicológica, com a agressão verbal; violência patrimonial, impedindo a autonomia econômica da mulher; violência moral, quando se faz ofensas, calúnias, injúrias e difamações sobre a mulher; e a violência sexual. A entrevistada comenta sobre o fato de, no ambiente doméstico, a mulher ser o principal alvo de violência, explicando que isso se deve a percepção, impregnada em nossa sociedade, da submissão e objetificação da figura feminina ao homem.

Desse modo, Barwinski enfatiza que a Lei Maria da Penha foi de extrema valia para dar mais visibilidade à problemática perante a sociedade, apesar de ainda precisar avançar em muitos aspectos. Ressalta também que, para as vítimas de violência doméstica, é de suma importância que elas não se afastem dos seus amigos e familiares, pois o apoio deles é fundamental para enfrentar essa situação, a qual deve ser denunciada na Delegacia da Mulher. Em relação às vítimas de violência sexual, a primeira ação deve ser procurar um hospital, de preferência dentro das primeiras seis horas após o ocorrido, para que sejam tomadas medidas pertinentes à saúde da mulher e, após isso, procurar uma delegacia para denunciar o caso.

Barwinski encerra afirmando que a educação é o único caminho possível para que a violência doméstica e familiar seja superada. Ela deve ser um processo contínuo, iniciando no ambiente doméstico, pois ele é o primeiro espaço para a formação do cidadão, alcançando até os indivíduos já socialmente formados, para que os resultados sejam eficazes.

Confira a entrevista completa:

O Nuevo Debate é uma parceria com a UFPR TV e tem como objetivo a divulgação de entrevistas de acadêmicos e pesquisadores, com a finalidade de popularizar o conhecimento científico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s