NUEVO Debate –Ódio à Democracia, com o professor Dr. Jelson de Oliveira

Resumo e Transcrição por

Karina Rossetto Obrzut

Para embasar essa conversa, o professor Dr. Jelson de Oliveira apresenta a obra Ódio à Democracia, do filosofo francês Jacques Rancière. Segundo a sua breve contextualização, o livro foi lançado na França em 2005, num cenário de certa crise da democracia francesa, e chegou ao Brasil em 2014, também encontrando um contexto caótico para a democracia do país.

Nesse sentido, o professor diz que o título da publicação se tornou bastante sugestivo, remetendo a uma espécie de questionamento do porquê, ao longo dos anos, criou-se um tipo de ódio à democracia, ou como a democracia se transformou em algo perigoso. O conceito de democracia, explica ele, está ligado à ideia de bem-estar social, na qual estamos inseridos em uma sociedade que possibilite condições para o nosso desenvolvimento como indivíduos e reivindicações de nossas demandas ao Estado.

Desse modo, Oliveira pontua que a democracia já vem sendo odiada desde antigamente, como na Idade Média, época em que o governo estava nas mãos da Igreja ou de nobres e a voz ativa da população, nas tomadas de decisões, não era algo visto com bons olhos. O entrevistado ressalta que avançamos nessa questão, porém, construiu-se um certo medo em torno da democracia por causa da desordem que ela pode trazer.

No entanto, o professor explica que essa situação contemporânea deve-se ao falso Estado democrático, o qual sempre busca reprimir com força policial todas as reivindicações dos problemas sociais, ao invés de colocar-se como aquele que irá ouvir essas reclamações, procurará soluções e apoiará as minorias, como deve ser o verdadeiro Estado democrático. Muito desse descomprometimento com a democracia, argumenta ele, ocorre porque aqueles eleitos, em tese para representar a população, estão mais preocupados em atender interesses próprios ou de grupos econômicos que os financiaram.

Por fim, Oliveira defende que devemos pensar uma democracia que seja, primeiramente, no âmbito da vida democrática, não apenas na abstração do regime político. Além disso, acrescenta que ela deve ser vista como a única alternativa, pois dentro de uma crise da democracia, não existe outra via de resolução que não seja a própria democracia.            

Confira a entrevista completa:

O Nuevo Debate é uma parceria entre a UFPR TV e tem como objetivo a divulgação de entrevistas de acadêmicos e pesquisadores, com a finalidade de popularizar o conhecimento científico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s