NUEVO Debate – Gestão Gerencialista e Trabalho Contemporâneo, com o professor Dr. Leonardo Tonon

Fonte: Imagem retirada do site Minds Coworking (20 abr. 2020).

Resumo e Transcrição por

Karina Rossetto Obrzut

De acordo com o professor Dr. Leonardo Tonon, a gestão gerencialista pode ser definida como toda a estrutura ideológica que existe por traz da gestão, no sentido de todas as consequências que se aplicam a partir de como ela é manifestada. No gerencialismo, diz ele, não há só a busca pela eficiência e eficácia, mas, também, a maneira como isso é realizado, geralmente caracterizada pela exacerbação das cobranças impostas aos trabalhadores.

Nesse sentido, Tonon explica que essa forma de administração é altamente baseada na quantificação, por meio da imposição de metas aos funcionários. Desse modo, prossegue, aqueles indivíduos são responsabilizados com o alcance daqueles números, independentemente a quais alternativas os trabalhadores irão recorrer, como o horário estendido de trabalho para os períodos de folga e desligamento de atividades prazerosas.

A principal consequência dessa perspectiva, argumenta, é quando ela extrapola os limites da organização e passa a encarnar no âmbito pessoal do sujeito. Conforme comenta o entrevistado, a quantificação de diversos elementos cotidianos, como o número de horas praticando meditação ou se exercitando na academia, acaba convergindo para a potencialização da saúde da pessoa em relação ao trabalho. Com isso, passa-se a criar pontos de competição entre os próprios colegas da empresa, afetando os benefícios e qualificações que poderiam ser gerados.

O professor também trata sobre a falsa ideia da figura do executivo que permeia muitos livros do curso de administração. Essa visão, afirma ele, apresenta uma versão glamourizada do estilo de vida do executivo, o colocando em uma posição de perfeição em todas as possibilidades de sua vida. O resultado disso, continua, é a ilusão dos futuros profissionais a concordarem com as estratégias da gerencialismo, sem qualquer questionamento.

Por fim, com base na pesquisa que desenvolveu ao entrevistar ex-executivos, Tonon alega que esse cenário pode e não pode ser alterado. Ele diz que pode, justamente, por já existirem vários casos de executivos que romperam com essa realidade, todavia, o pertencimento à essa face do mundo organizacional já ocasionou a subjetivação dessas pessoas dentro daqueles padrões, e alguns aspectos sempre os acompanharão.

Confira a entrevista completa:

O Nuevo Debate é uma parceria entre a UFPR TV e tem como objetivo a divulgação de entrevistas de acadêmicos e pesquisadores, com a finalidade de popularizar o conhecimento científico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s