NUEVO Debate – Intolerância Religiosa, com o professor e historiador Renato Mocelin

Resumo e transcrição por

Karina Rossetto Obrzut

Segundo Renato Mocelin, o homem sempre teve a necessidade de possuir alguma ligação com a espiritualidade e, a medida que as religiões foram sendo formadas, certos grupos começaram a acreditar que suas crenças eram superiores perante as demais. Nesse sentido, diz ele, surge a intolerância religiosa, que pode ser caracterizada como a imposição de determinados cultos, por meio de perseguições violentas, a fiéis de outros mais diversos, como os de vertentes africanas.

O professor explica que esse cenário vem sendo construído desde tempos antigos. Cita, por exemplo, a consolidação do cristianismo na Idade Média, que ocasionou acusações e julgamentos desenfreados de pessoas por heresia, isto é, escolhas que não se adequavam aos dogmas da fé dominante naquele momento. Além disso, comenta que a religião também foi o motor de vários conflitos e guerras, como as cruzadas.

Dessa forma, destaca que essas expedições militares se respaldavam na crença que defendiam para justificar as crueldades que cometiam, quando, na verdade, havia motivações e interesses políticos e econômicos por trás. Avançando um pouco no tempo, o historiador fala sobre como a República trouxe para o Brasil, do ponto de vista legal, a laicidade do Estado, mas, socialmente, a intolerância permaneceu em nosso país.

Mocelin argumenta que embora existam leis que visem coibir essa prática, é difícil identificar algum indivíduo que tenha sido, de fato, sentenciado à prisão conforme as disposições no Código Penal, gerando a sensação de impunidade a respeito da intolerância religiosa. O entrevistado ainda menciona sobre como se costuma repudiar muito mais intensamente o destrato aos símbolos do catolicismo, como a quebra de uma imagem da Nossa Senhora Aparecida, do que, por exemplo, invasões e destruições de terreiros de candomblé.

Sendo assim, o professor defende que um dos caminhos para minimizar essa situação passa pela instituição escola, que deveria possuir uma disciplina de cultura religiosa, ministrada por um profissional que tenha um conhecimento amplo acerca das crenças, sem privilegiar uma ou outra. Por fim, também enfatiza que a liberdade de não crer deve ser assegurada aos indivíduos tanto quanto a liberdade de crer sem medo de represálias.

O Nuevo Debate é uma parceria entre a UFPR TV e tem como objetivo a divulgação de entrevistas de acadêmicos e pesquisadores, com a finalidade de popularizar o conhecimento científico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s