Os Devaneios de um Ignorante Solitário – Francis Kanashiro Meneghetti

brasil sufocado

Por Francis Kanashiro Meneghetti É o fim… para muitos, quase 300 mil. Sufocados, sozinhos. E o brasil (com letras minúsculas mesmo) ainda discute se é genocídio! A se os que se foram pudessem falar! Cada um que nega sua responsabilidade é um doente crônico, de uma enfermidade chamada falta de caráter! Sim, somos todos responsáveis,… Continuar Lendo →

Ausência como presença

Por Francis Kanashiro Meneghetti A ausência pode ser uma forma de presença. Uma palavra não dita, um carinho não feito, um elogio não realizado, um amor não declarado podem doer mais do que tudo que já realizamos de errado. A ausência é muito mais que tempo perdido. É a própria ausência do tempo em nossas… Continuar Lendo →

Sobre Pensar o que Vem a Cabeça

Por Francis Kanashiro Meneghetti Um homem, como eu, depois de uma certa idade, simplesmente se lança a escrever. Não há mais tempo para articular previamente as ideias. Essa conduta é para quem é inseguro. Para quem precisa mediar a realidade com as mentiras produzidas por si mesmo para aguentar essa vida tediosa que se instalou… Continuar Lendo →

Agora é a hora do jeito Nirvana de ser!

Por Francis Kanashiro Meneghetti Nirvana. Segundo a crença budista, quem atinge o nirvana vê de forma definitiva o fim do sofrimento humano. Mas para que isso aconteça é preciso a supressão total dos desejos e de um novo estado de consciência individual, desapegado de tudo que é humano. As religiões consideram uma possibilidade real atingir… Continuar Lendo →

Segredos

Por Francis Kanashiro Meneghetti O Daruna é um boneco com nome japonês que tem suas origens na religião Zen Budista. Não irei falar das suas características religiosas ou mesmo místicas. Ele é um boneco para se presentar outras pessoas, não sendo adequado se auto presentear. A pessoa presenteada deve fazer um desejo e pintar um… Continuar Lendo →

O que se escreve quando não se está inspirado

Por Francis Kanashiro Meneghetti Ao contrário do que se pensa, a maior angústia de um escritor é estar perturbado por uma série de ideias. A ausência delas não é motivo de sofrimento. Na realidade é sinal de pacificação e alento na ignorância. O excesso de ideias, somadas a falta de tempo, de controle emocional, de… Continuar Lendo →

O tirano nosso de cada dia

Por Francis Kanashiro Meneghetti “Um homem que não pode escolher deixa de ser um homem”[1]. Devemos ser capazes de escolher entre tudo que queremos. Sim, nós queremos tudo, mesmo sabendo que não podemos ter tudo e que não conseguimos lidar com tudo que queremos. Queremos saber mais, sermos mais poderosos, mais bonitos e atraentes, mais… Continuar Lendo →

Sobre ter certeza de ser mal para tentar ser bom!

Por Francis Kanashiro Meneghetti “Há alguma razão em fazer o julgamento de um homem pelos aspectos mais comuns de sua vida; mas, tendo em vista a natural instabilidade de nossos costumes e opiniões, muitas vezes me pareceu que mesmo os bons autores estão errados em se obstinarem em formar de nós uma ideia constante e… Continuar Lendo →

A esperança habita o céu estrelado!

Por Francis Kanashiro Meneghetti Quando eu era criança, antes mesmo dos dez anos, duas situações me deixavam espantado! Primeiro, a violência. Segundo, o céu estrelado! A primeira situação me transformou em um cientista. São vinte anos dedicados a realização de pesquisas e estudos sobre a violência, nas suas formas de manifestações mais cruéis. Depois de… Continuar Lendo →

Quem nos faz tão bem?

Por Francis Kanashiro Meneghetti Você sabe quem te faz bem? São poucas pessoas, certamente. Muitas pessoas que consideramos positivas para nós, no fundo, nos geram mais estresse, desgaste emocional, fadiga e perda de saúde mental. E isso, muitas vezes, tem pouco a ver com a proximidade ou distância que temos dessas pessoas. Existem convivência com… Continuar Lendo →

Leitores prudentes celebram suas próprias ignorâncias!

Por Francis Kanashiro Meneghetti Não existem verdades definitivas. Mas existem verdades possíveis. Isso implica em abandonar qualquer forma de meio termo, de mediocridade, de senso comum. As possibilidades como verdades têm maiores chances de estarem nos exageros, nos radicais, nos extremos. Um escritor que abandona a busca das verdades possíveis em detrimento do meio termo,… Continuar Lendo →

O Ignorante está nu

Por Francis Kanashiro Meneghetti Hoje inicio uma nova jornada. O de escrever de duas a três reflexões por semana, em textos curtos e livres das amarras do formalismo acadêmico, das convenções da escrita formal e da opinião do próprio leitor. Os temas serão diversos, mas o ponto de partida e de chegada será sempre o… Continuar Lendo →


Siga meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: